O mundo é cada vez mais digital. Praticamente tudo pode ser feito pelos celulares e computadores. Com eles, nos comunicamos com outras pessoas, acessamos a internet, vendemos, compramos, fazemos cadastros, pagamos contas, resolvemos problemas. Mas é preciso ter muito cuidado, pois isso também forneceu brechas pessoas com intenções maliciosas.

Táticas e técnicas para ludibriar as pessoas e conseguir roubar dados, informações sigilosas e tirar dinheiro cada vez mais são aprimoradas e criadas com intuitos mal-intencionados. De certa forma, a evolução da tecnologia, no mesmo passo em que é facilitadora para muitos casos, também age como ferramenta para bandidos desenvolverem seus crimes.

Existem diversas modalidades de cibercrimes: aqueles que utilizam e-mails com conteúdo que redireciona a sites falsos, mensagens de teor apelativo/emocional, infiltração de malwares, invasões hackers, entre outros perigos que o mundo digital proporciona.

Nesse texto, vamos focar em apenas um deles: o vishing. Se você nunca ouviu falar, leia esse artigo para saber tudo sobre esse perigo que pode até já ter acontecido com você (e pode nem ter se dado conta).

Sobre o que estamos falando?

Esse golpe é bastante elaborado e utiliza a tecnologia a seu favor. Ele acontece quando o criminoso, com objetivo de roubar os dados da vítima, usa, por exemplo, um telefonema se passando por um funcionário de banco, de uma loja ou algo do tipo, pedindo suas informações – número do cartão de crédito, CPF, RG, senhas, entre outros dados.

Funciona como o phishing, que utiliza e-mails ou páginas da internet falsas para roubar dados, ou também como o smishing, que acontece por mensagens de texto, só que por voz. Além de ligações diretas, em que uma pessoa está falando com o alvo, e pode acontecer também por meios automáticos, utilizando serviços de voz sobre IP, que ajudam os criminosos a se disfarçarem e também a dificultar o rastreio.

O ponto-chave desse crime é que ele apela para a urgência, dando a entender que, se você não fornecer os dados com brevidade, algo ruim pode acontecer, como o cancelamento de uma conta bancária, a impossibilidade de fechar uma compra etc.

Isso tudo faz parte de um processo chamado de engenharia social que, dentro do contexto da segurança da informação, é uma forma de manipular psicologicamente as pessoas para que elas repassem seus dados sigilosos.

Cuidados necessários

Para saber como se proteger, é preciso entender um pouco sobre como funciona a mentalidade dos criminosos que aplicam o vishing. Se perceber certo nervosismo na voz de quem está pedindo os dados, dê espaço às dúvidas. Da mesma forma se a chamada for feita por meio de uma “voz automática”.

Listamos algumas precauções que você pode ter para evitar problemas com esse tipo de golpe:

  • Nunca forneça seus dados a estranhos: por mais que os argumentos dados pela pessoa na ligação sejam convincentes, tenha muito cuidado. Prefira resolver qualquer tipo de problema referente a contas bancárias, cartões.