Ataques cibernéticos são problemas que cada vez assustam mais as empresas de todos os portes não só no Brasil, como no mundo inteiro. Ondas de hackers que utilizam programas maliciosos para invadir sistemas – e ter acesso a informações e a dados confidenciais – têm causado grandes prejuízos.

Isto se deve, principalmente, a falhas de segurança provocadas pela deficiência na capacidade de proteção existente e, claro, pela falta de investimentos na área de TI, o que gera uma desvalorização enorme no setor.

Um dos ataques mais comuns ocorre através do ransonware. Ele é um código com intenções maliciosas que “sequestra” por meio de criptografia, os dados armazenados na máquina onde foi instalado. O usuário ao tentar acessar a pasta ou arquivo infectado recebe uma mensagem com um pedido de resgate para poder ter de volta seus documentos. Esse resgate é geralmente cobrado em bitcoin– uma moeda digital.

O ransonware pode chegar ao computador por meio de diferentes modos: anexado em e-mails o usuário é induzido a clicar em um link que, quando acessado, instala o vírus; através de sistemas que estejam vulneráveis, por falta de atualizações e tecnologias de segurança nas máquinas.

É possível a proteção contra este vírus , evitando a infecção nas máquinas de sua empresa. Mas, caso aconteça de contrai-los, também existem formas de removê-los. Vamos saber como remover ransomware, mas antes conheça os grandes perigos desse vírus, assim como os ataques mais frequentes que movimentaram o mundo nos últimos anos.

Os perigos

A grande ameaça do ransonware vem do fato dele inutilizar, através de criptografia elaborada, pastas e arquivos que podem ser de importância fundamental para a empresa. Tendo a necessidade de recuperar tais informações, quem sofre o ataque acaba cedendo e pagando, em bitcoins, a quantia exigida pelos criminosos para reaver os dados.

A maioria das infecções do tipo costuma ser acompanhadas de um bate-papo, por meio do qual ele já exige o resgate. Em boa parte das situações, após o pagamento, há a devolução do material, pois existe uma espécie de “código de conduta” entre os hackers.

Existem dois tipos de ransonware. O primeiro deles e também o mais comum é o crypto. Ele se vale da criptografia para bloquear o acesso do usuário aos dados armazenados na máquina onde o vírus foi instalado. O outro tipo é o locker, que bloqueia completamente todo o acesso ao computador infectado.

Este vírus, ainda procura por outros dispositivos que estejam conectados de alguma forma ao computador central, para poder criptografá-los também. Para saber como remover ransomware, antes conheça um dos maiores ataques já provocados por esse vírus.

Ataques conhecidos

Um dos ataques de ransonware que mais causou impacto ocorreu em  em maio de 2017. Nomeado de WannaCry, ele movimentou praticamente o mundo inteiro, inclusive o Brasil. Órgãos de grande porte como o Ministério Público de São Paulo e o INSS foram atingidos.

Muitos dos servidores das empresas e das instituições atingidas não possuíam atualizações de segurança suficientes para evitar a invasão. Essa foi a lacuna utilizada pelos hackers para disseminar o vírus e “sequestrar” informações valiosas de muitas organizações.

Estima-se que mais de 230 mil sistemas foram infectados com o WannaCry. O resgate exigido pelos criminosos girava em torno de 300 dólares, que deveria ser pagos em bitcoins. E o prazo dado por eles era de até três dias. Para entender o alcance que essa infecção teve, mensagens exigindo o resgate foram traduzidas em mais de 20 idiomas.

A Europol – Centro de Cibersegurança Europeu – classificou o ataque precedentes um nível sem precedentes, e logo após o acontecimento, iniciou pesquisas de combate ao crime, para descobrirem como remover ransomware. Inúmeras empresas conhecidas foram afetadas, como a operadora Vivo, no Brasil, a montadora Renault, na França e até mesmo a FedEx, nos Estados Unidos.

Pouco tempo depois, no final de junho, outro ataque também assombrou empresas ao redor do mundo, principalmente na Europa. Chamado de Petya, o vírus criptografa setores importantes do disco-rígido, dificultando até mesmo o pagamento do resgate. Ao contrário do WannaCry, esse vírus não apenas criptografa os arquivos do computador, ele também modifica o setor de inicialização do disco.

Como se proteger

É possível, por meio de algumas atitudes, evitar que o perigoso vírus infecte o seu computador ou as máquinas da sua empresa. Mas você também pode aprender como remover ransomware, caso a infecção já tenha acontecido. Confira as dicas!

  • Atualizações de segurança: um computador desatualizado oferece todas as lacunas que hackers e criminosos desejam para conseguir instalar um vírus, como o ransonware. Por isso, mantenha sempre seu sistema operacional e os programas nas últimas atualizações. Além de dar um melhor funcionamento, as versões mais novas contam com versões de segurança que ajudam a prevenir esse tipo de ataque;
  • Antivírus: um computador sem antivírus é tudo que pessoas maliciosas querem, pois a máquina fica praticamente sem proteção e, assim, torna-se possível instalar vírus, sequestrar dados, além de realizar outros tipos de ataques. Existem muitos antivírus grátis e eficientes no mercado, tais como Avast, Ad-Aware, AVG e Avira;
  • Atenção: um simples descuido por falta de cuidado pode ser crucial para que as máquinas sejam  infectadas por ransonware. Ver a extensão dos arquivos ajuda a ter mais cuidado. Por exemplo, os com extensões .EXE, .VBS e .SCR devem ser sempre tratados com suspeita;
  • Cuidados: procure fazer cópias de segurança de todas as informações e arquivos dos computadores da empresa sempre (utilizar backup na nuvem é uma boa alternativa). Além disso, oriente os funcionários a não clicarem em e-mails e links suspeitos, pois essas são as formas mais frequentes de disseminação do vírus ransonware;
  • Como descriptografar: a empresa Avast lançou em 2016 algumas ferramentas gratuitas para descriptografar arquivos infectados por ransonwares. Vários tipos do vírus são facilmente removidos com o auxílio dessas ferramentas, chamadas de Avast Ransonware Decryptors. Outro programa grátis é o Wannawiki, que trabalha por meio do Prompt de Comando e funciona em computadores que tenham os sistemas operacionais Windows XP, Windows 7, Vista, Server 2003 e Server 2008.

Proteger-se dos sequestros de dados e dos ataques virtuais é algo simples, mas que requer conhecimento para que não atinja a tantas pessoas. Com as dicas e as informações apresentadas nesse texto você aprendeu como remover ransomware, conheceu os impactos dos vírus e entendeu alguns dos principais ataques recentes. Para saber como proteger as informações da sua empresa, baixe o nosso E-Book Manual de Segurança de TI para empresas!